Os números de Grêmio x Figueirense

O Figueirense já complicou a vida do Grêmio em algumas oportunidades. Observem os números apresentados pelo historiador Daison Sant’Anna.

Grêmio x Figueirense – Em PORTO ALEGRE:

*Copa Sul-Minas – 3 jogos no Olímpico: Uma vitória do Grêmio (2×1 2001), um empate (0×0 2000) e uma vitória do Figueirense (4×3 2002).

*Brasileirão – 8 jogos no Olímpico: 3 vitórias do Grêmio (2×0 1978; 3×1 2003 e 4×0 2012), 2 empates (2×2 2004 e 1×1 2008) e 3 vitórias do Figueirense (2×1 em 2006 e 2007; 3×1 em 2011).

No empate de 2008, o Grêmio perdeu a liderança do Brasileirão, um resultado fatal na busca do título.

Inter perde mais uma vez para o Corínthians

POSTADO IMEDIATAMENTE AO FINAL DA PARTIDA INTERNACIONAL 1 X 2 CORÍNTHIANS

Apesar de truncado, foi um baita jogo de futebol no Beira-Rio. Um dos mais disputados de todo o campeonato.

E nem poderia ser diferente. Eram vários jogadores de alta técnica simultaneamente num mesmo gramado.

Deu Corínthians por duas razões: pela sua excelente defesa e por causa de sua objetividade no ataque.

Basicamente, a equipe paulista obteve duas grandes chances de gol, as duas convertidas através de Guerreiro e Gil.

Ambos os gols marcados no primeiro tempo. Nilmar na etapa inicial desperdiçou as duas oportunidades coloradas.

No tempo complementar, Alan Patrick foi sacado para a entrada de Valdívia. Os gaúchos foram para cima.

Bem ao estilo já manjado dos times treinados por Abel Braga, ou seja, de puro improviso e voluntariedade.

E quem sabe contando com a falha de um adversário ou de uma jogada individual de seus excelentes jogadores.

O técnico terminou a partida com Jorge Henrique de lateral direito e sem nenhum primeiro volante no meio-campo.

Vitória justa dos paulistas, que contam com a segunda melhor defesa do Brasileirão e encostaram no Colorado.

Já o Inter perdeu, mais uma vez, uma nova e ótima chance de se aproximar no líder Cruzeiro.

Decididamente a equipe alvirrubra não consegue jogar bem contra equipes consideradas candidatas ao título.

Senão vejamos, perdeu as duas para o Corínthians, além de fracassar diante do Cruzeiro, Atlético/MG e São Paulo.

Pagantes: 33.641 Menores: 2.132 Não-pagantes: 1.239 Total de Público: 37.012.

Opinem.

Grêmio empata e pode perder a quinta colocação neste domingo

Os primeiros quarenta e cinco minutos de Goiás e Grêmio poderiam ser apagados de nossas memórias que nada aconteceria.

Foi um dos piores momentos do nosso futebol, apesar do calor e da baixa umidade do local da partida observados.

Felipão veio mesmo com os três volantes especulados durante toda a semana e, na frente, Lucas e Fernandinho.

Zé Roberto resumiu a etapa inicial: “Acho que a gente entrou tentando ficar com a posse de bola, porque está muito quente. A proposta deles é o contra-ataque. Está faltando penetração, estamos apáticos. Esperamos as orientações para melhorar”.

Mas veio o segundo tempo e quem melhorou foi o adversário. O Tricolor era quem tentava somente o contra-ataque.

Os erros de passe continuavam, especialmente do Grêmio. O melhor em campo foi Thiago Mendes.

O Goiás criou umas três ou quatro situações de gol quase todas evitadas pelo melhor goleiro do futebol brasileiro, Marcelo Grohe.

Ele que foi substituído no final do jogo sentindo uma provável queda de pressão. No entanto, o placar permaneceu fechado.

A equipe do Goiás que vinha de quatro vitórias seguidas em casa, se contarmos, também, a copa da sul-americana.

Se o Corínthians ganhar do Inter, neste domingo, no Beira-Rio, o Grêmio cai de quinto para sexto lugar na tabela.

Sobre a política, deu a lógica nas eleições presidenciais do clube. Romildo Bolzan é o novo presidente do Grêmio.

Ninguém poderia pensar algo diferente, a partir do apoio de Fábio Koff, que voltou a falar em administrar a Arena, se o Conselho aprovar o acordo.

Romildo Bolzan ganhou com 6.398 votos válidos, o equivalente a 71,4%. Homero Bellini teve 2.557 votos, ou seja, 28%.

Houve 20 votos em branco e 38 nulos. Opinem.