Autor: Ricardo Vidarte

Velho trunfo: a bola aérea

Velho trunfo: a bola aérea

A 2ª rodada do campeonato gaúcho provocou novos debates sobre o desempenho da Dupla GreNal. O Grêmio perdeu sofrendo quatro gols criados através de jogadas pelo alto. O Inter marcou três gols de bola aérea. Odair Hellmann tem trabalhado esse conceito há 2 semanas.

Por causa dos cruzamentos, me lembrei dos tempos antigos, quando Rubens Minelli e Luiz Felipe Scolari treinaram o Inter, na década de setenta, e o Grêmio, nos anos noventa, ambos timaços que conquistaram grandes títulos pelos dois maiores clubes do Rio Grande do Sul.

Há imagens de gols memoráveis do Colorado, que quase sempre recorria a dupla de atacantes Claudiomiro e Escurinho para resolver a situação, quando as jogadas por baixo não davam certo. O Tricolor, 20 anos depois, decidiu padronizar e adotou os lançamentos diretos.

Dados comprovam que no futebol mundial, em torno de 50% dos gols, acontecem pelo alto. Há muito tempo o jogo aéreo não é mais uma típica jogada europeia, ou mais especificamente dos ingleses, que tinham deficiências técnicas para trabalhar pelo chão.

O futebol é global. Os atletas e comissões técnicas trocam informações. As características táticas tornaram-se comuns, variando apenas as especificações de execução, bem como as formas como são trabalhadas. Nada mais é surpreendente e já faz tempo que sabemos.

Em tese, Odair e Renato não apenas precisam criar situações de jogo para estimular a performance dos atletas visando racionalizar as jogadas defensivas ou ofensivas, mas realizar treinamentos que condicionem e aperfeiçoem as destrezas que auxiliem a um jogador.

Em suma: as movimentações de avanço das equipes estão voltadas para ações de ataque que preparam as condições necessárias para que surjam as jogadas aéreas e que, direta ou indiretamente, o gol aconteça. O mesmo pode ser dito quando a equipe está sendo agredida.

Opinem!

Pelo alto: problemas e soluções da Dupla GreNal

Pelo alto: problemas e soluções da Dupla GreNal

Continuo com o mesmo critério. Temos que esperar mais uns dois ou três jogos para começar a ter uma impressão do futebol apresentado pelas equipes neste início de temporada. Me refiro a Dupla GreNal que começou a trabalhar mais tarde do que os demais times.

O zagueiro Danilo Silva, um dos goleadores colorados contra o Novo Hamburgo, chegou a admitir que sentiu as pernas como estivessem “trancadas ou freadas”, logo depois da vitória de 3 x 0.  Na verdade, fato normal, independentemente da idade do atleta.

Apesar de ser ainda muito cedo para qualquer conclusão, teoricamente, o Internacional mostrou força aérea. Marcou três gols de cabeça, em bolas cruzadas na área, duas de escanteio. Fico curioso para saber o time que vai atuar na quarta diante do líder, Caxias.

No Grêmio, o que de mais importante aconteceu foi a entrevista concedida pelo técnico de transição, César Bueno. O treinador colocou toda a responsabilidade da derrota por 5 x 3 para o Caxias nos ombros da garotada tricolor. Ele lembrou, também, o empate contra o Ijuí.

César Bueno disse que o time de transição gremista tem boa técnica, qualidade e habilidade, exatamente como acontece com os principais clubes de formação brasileiros, mas demonstrou imaturidade e inexperiência, nos dois primeiros compromissos do campeonato.

Opinem.

 

A primeira vitória colorada e o acordo de Anderson

A primeira vitória colorada e o acordo de Anderson

Adotei como prática na minha atividade de jornalista, sempre que começa uma temporada esportiva, aguardar quatro ou cinco jogos para ter uma opinião mais definitiva a respeito de um time de futebol. Portanto, quase nada pode ser dito do Internacional, sobre ontem.

A turma dos catedráticos, que nada fazem a não ser teorizar, já tem uma definição na praça. A primeira delas, é que D’Alessandro e Camilo não podem jogar juntos. Respondo, sem muita convicção: podem jogar juntos, desde que um esquema seja estabelecido pelo técnico.

Isto exigiria mais treinamento e melhor preparo físico dos dois atletas. Ou, talvez, retirando-se um dos atacantes de frente, com a entrada de um outro jogador, que poderia ser Wellington Silva, ex-Fluminense, somente para citar um despretensioso exemplo.

Mas admito que seria mais fácil escolher entre D’Alessandro e Camilo, quem será sacrificado do time titular. Tudo em tese porque, na prática, com a sequência dos jogos, lesões, suspensões e sei lá mais o quê, todos vão acabar jogando em algum momento.

Sobre a rescisão de Anderson. O clube fez um acordo de 5 anos com o jogador. Vai pagar 130 mil reais mensais até o final. Com uma cláusula: se o Inter atrasar um dia do pagamento, terá a obrigação de antecipar, imediatamente, toda a dívida estabelecida em contrato.

Anderson ganhava em torno de 560 mil reais até dezembro, agora. Ele tinha contrato com o Inter até o mês de fevereiro de 2019. Ou seja, tinha ainda por receber mais ou menos 7 milhões e 800 mil reais.  Esse foi o acordo que a direção colorada assinou.

Opinem.

A noite em Ijuí é para ser esquecida

A noite em Ijuí é para ser esquecida

Pelas circunstâncias, ficou impossível se praticar futebol no estádio 19 de Outubro, Ijuí. O presidente Noveletto deveria impedir uma partida com as condições apresentadas, ontem. Ninguém jogou bem. Quem elogiar o empate entre os times, é porque não entende de bola.

A menos que haja algum interesse que eu não sei dizer qual é. Parte da crítica elogiou o lateral direito e o meia que marcou o gol gremista. Os “críticos”, normalmente, destacam o cara que fez o penúltimo e o último toque, antes do gol ser marcado. Podem ler e confirmar o que digo.

A inspiração desapareceu. Houve, sim, luta. Uma verdadeira batalha campal que acabou empatada. Nem mesmo os gols foram bonitos ou bem construídos. O gol tricolor foi depois de um cruzamento normal da direita, houve um bate-rebate e Matheus colocou para a rede.

Vamos ver, se o Inter consegue, nesta quinta, melhorar o nível desse início de Gauchão, sempre muito ruim de se acompanhar. Condições nós sabemos existem, tanto para o Colorado como para o Veranópolis, do competente Julinho Camargo.

O técnico Odair Hellmann está tentando implementar uma nova filosofia de jogo que evite os chutões, ligações diretas, valorizando a troca de passes, movimentação e deslocamentos, além de uma marcação forte na saída de bola do adversário. Vamos aguardar.

Opinem.

 

Os dois centroavantes pretendidos pelo Grêmio

Os dois centroavantes pretendidos pelo Grêmio

A direção do Grêmio não admite, mas está tentando a contratação de dois centroavantes e de um meia armador. O presidente sabe da importância de contratar um chamado “fazedor de gol”, fundamentalmente, após a saída do argentino/paraguaio, Lucas Barrios.

O blog descobriu os nomes de frente pretendidos por Romildo Bolzan Junior. O primeiro deles, trata-se do “delantero” argentino Nicolás Blandi, de quase 30 anos, do San Lorenzo. O nome de Blandi é um dos desejos da liderança tricolor que quer, também, Gonzalo Carneiro.

O uruguaio Gonzalo Carneiro, de apenas 22 anos, pertence ao Defensor do Uruguai e tem mais de um metro e noventa de altura.O jogador ficou lesionado no ano passado por um bom período, mas já está de volta as suas atividades normais.

Opinem.

Jael, Cícero e Gabriel Dias

Jael, Cícero e Gabriel Dias

Parte da imprensa tem elogiado neste início de temporada dois jogadores recentemente contratados pelo Internacional.  O primeiro deles, é o centroavante Roger, que tem marcado gols nos treinamentos em geral e no jogo-treino do último sábado contra o Lajeadense.

A segunda novidade, é a presença positiva nos trabalhos do quase desconhecido volante Gabriel Dias, 23 anos. Um jogador que preferiu continuar no futebol brasileiro em detrimento do mercado europeu, e que tinha a possibilidade de jogar no Grêmio, também.

Outro assunto: o Grêmio está acertado salarialmente com os jogadores Cícero e Jael. Ambos vão estar presentes na reapresentação tricolor do grupo principal marcada para quinta no CT Luiz Carvalho. Os dois jogadores ainda precisam assinar os contratos, mas deverão continuar.

Com as permanências de Cícero e Jael e a contratação do lateral-direito Madson, o Grêmio busca ainda pelo menos três reforços no mercado: um centroavante, um lateral-esquerdo e um meio-campista. O centroavante é a prioridade da direção.

Mesmo com a fragilidade do Gauchão

Mesmo com a fragilidade do Gauchão

Lamento pelas vaias dirigidas por parte do torcedor colorado para o zagueiro Paulão, durante o primeiro jogo-treino da temporada de 2018, no CT Parque Gigante. Mas nada que não possa ser resolvido a partir de boas atuações. O torcedor é quase sempre passional, faz parte.

A atividade teve quatro tempos de 30 minutos. Nas duas primeiras etapas, os titulares venceram por dois a zero, com gols de Damião e Cuesta. Na segunda parte, os reservas venceram do Lajeadense por 6 x 0. O atacante Roger marcou três gols e chamou a atenção.

Mas é muito cedo para qualquer conclusão. Treino é treino… são circunstâncias diferentes e que precisam ser analisadas. Notei que o técnico Odair escalou praticamente o mesmo time que vinha atuando no final do ano passado. A única alteração foi na lateral direita. É pouco.

Tomara que eu esteja equivocado. E que o comandante colorado consiga melhorar o desempenho do time. Ou com mudanças na escalação ou com um novo padrão de jogo. De qualquer maneira, é algo que me parece ainda muito longe de acontecer, mesmo com a fragilidade do Gauchão.

Jorge Machado esclarece a situação de Arthur

Jorge Machado esclarece a situação de Arthur

Estive no Parrilla del Sur com a turma do Sbt Esporte para começar com o pé direito o ano de trabalhos da emissora. Conversamos sobre a comida, o Grêmio, o Internacional, a seleção, as competições, as férias e a vida de uma forma geral. Até que chegou um convidado inesperado.

Recebemos o que considero o mais importante empresário do futebol mundial, Jorge Machado. Falamos por mais de uma hora com ele sobre inúmeros assuntos. Mas o mais expressivo foi quando respondeu a questão: Arthur vai ou não para o Barcelona?

A resposta está nas minhas histórias do “Instagram”. Jorge Machado: ” Arthur é um grande jogador. O jogador tem que ir. Ele deve ir do Grêmio para algum lugar”, garantiu o empresário. Acontece que há outros clubes interessados na contratação do meio campista.

Há times ingleses na parada. Exatamente como a gente informou no ano passado aqui no blog. Manchester United e Chelsea monitoram o recuo do interesse dos espanhóis pelo jogador gremista. Há ainda interesse do Manchester City e do Arsenal.

A multa rescisória gira em torno dos 50 milhões de euros ou 200 milhões de reais. Existe a possibilidade do jogador continuar na Arena, mesmo depois de negociado com o futebol europeu.

 

 

A única contratação incontestável do Inter

A única contratação incontestável do Inter

Talvez, dos reforços colorados para este início de temporada, a única contratação incontestável foi a do atacante Wellington Silva, ex-Fluminense.  As demais são discutíveis. Penso que o Inter deveria ter priorizado nomes mais experientes, se realmente sonha com um título expressivo. Ou deveria iniciar o ano com o que tem no atual grupo, exceção do atacante de Xerém.

Dudu, Ruan, Patrick, Gabriel Dias, Roger, além de Moledo que vai chegar no meio do ano, e, talvez,  Rithely são apenas apostas. O Internacional corre o risco de ter que reforçar o grupo durante a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, dependendo do desempenho da equipe nos três primeiros meses de atividade.

Até agora, concordei com o retorno do zagueiro Paulão, se é que os dirigentes estão falando sério quando projetam o futuro do atleta. E penso que foi um acerto a aposta feita com o argentino Martín Sarrafiore, do Huracán/ARG, de apenas 20 anos. Para terminar, é curioso o fato de somente o lateral direito Dudu deverá ser escalado no jogo de estréia na quinta que vem contra o Veranópolis.

Estamos voltando

Estamos voltando

Tomara que todos tenham passado legal o Natal e o Ano Novo. No blog, conto com a participação de vocês, especialmente, para debater os assuntos relacionados ao futebol da Dupla e do Rio Grande do Sul. Nesta quarta, convido a turma a dar uma olhada no assunto que está logo abaixo. Na sequência, publico a nossa opinião sobre os primeiros dias da temporada. As contratações, as saídas, os retornos, as mudanças e as perspectivas.
Instituto de Medicina do Esporte – Sistema de Saúde Mãe de Deus 

II Simpósio de Ciências do Futebol Team Physician FIMS já estão movimentando e trazendo uma ótima repercussão no cenário esportivo do sul do país, gerando interesse de clubes e da imprensa especializada.

Realizado pelo Instituto de Medicina do Esporte – Sistema de Saúde Mãe de Deus em parceria com a Federação Gaúcha de Futebol, o evento acontece nos dias 12 e 13 de Janeiro e 9 e 10 de Março. No encontro serão debatidos temas como antidoping, lesões e suplementação, além de ampliar o conhecimento técnico sobre a incidência de lesões e doenças no futebol do sul do país.

Para saber mais acesse www.saudepeloesporte.com.br/simposio e faça a sua inscrição!
Maiores informações pelo telefone (51) 3230.2610.