Grêmio está mudando a estrutura da divisão de base

Grêmio está mudando a estrutura da divisão de base

Por enquanto, ninguém vai ser contratado para substituir o antigo técnico do grupo de transição gremista. O Grêmio deverá promover mudanças somente a partir do ano que vem.

Felipe Endres, filho do Dr. Alarico Endres, foi demitido, juntamente com o seu auxiliar, Bugre, que estava há muitos anos nas categorias de baixo.

Interinamente, o professor César Bueno (Sub-20) será o substituto.  A direção vai mudar a estrutura, visando maior integração entre Profissional/Transição.

“A Transição terá nova estrutura, nova filosofia e nova função na estrutura de formação. Era uma mescla de jogadores emergentes e jogadores encostados”, disse uma fonte da base.

Opinem.

16 Replies to “Grêmio está mudando a estrutura da divisão de base”

  1. Ser eliminado da Copa Paulo Santana, pelo Cruzeiro, não é vergonhoso, principalmente considerarmos que o time principal foi igualmente eliminado por um time do interior no Gauchão.
    O que falar do sub-20, que não ganhou nenhum jogo da fase final do campeonato brasileiro da categoria, tendo inclusive sido goleado em mais de uma oportunidade. Agora aquele treinador é promovido. Tem alguma coisa errada nisso.

  2. A administração das categorias de base deveriam ser fiscalizadas pelos conselheiros mais virtuosos…mas quem fiscalizaria esses?

  3. Nova lesão de Douglas, força a realização de cirurgia.
    Uma pena, pois além de bom profissional o camarada é muito gente boa!

  4. kkkk

    Como eu gostaria que aqueles mesmos colorados que aqui vinham “cagar” pela boca dizendo que a Arena estava construida emcima de esgoto, de área contaminada, etc…etc….

    E AGORA ?
    Contaminação do solo do Beira-Rio preocupa o Inter
    Postado em 4 de outubro de 2017 por Hiltor Mombach Publicado em Esportes 8 Comentários
    Manigestação de integrante da Ernst Young na reunião do Conselho Delibetativo do Inter do dia 5 de setembro.
    “Estamos chegando quase no final.
    Já vamos direto para o exemplo, que fica mais fácil de entender.
    Essa é a situação ambiental do Clube, com relação às licenças do Clube.
    Então, aqui o que está vermelhinho é onde não tem licença e deveria, de alguma forma ter, segundo o nosso entendimento, o que está verdinho é o que tem licença e o que está cinza é não aplicável.
    Então, se vocês perceber, no CT Profissional e no Parque Gigante tem um certo “gap” de licenças, mas esse ainda não é o maior problema.
    O maior problema do Inter hoje é esse.
    Com a reforma do Beira-Rio foi construída uma área de estacionamento, ela era onde tinha um posto de gasolina.
    E esse posto de gasolina, obviamente, uma contaminação do solo, e existia a necessidade de se fazer um tratamento nesse solo.
    E o que acontece é que você pode ter o impedimento da renovação de licença do Beira-Rio caso esse tratamento não seja feito.
    O Beira-Rio tem licença até 2019, e vamos imaginar que o fiscal seja gremista e ele venha aqui visitar vocês.
    Ele não precisa fazer nada, ele só vai seguir a lei.
    Então, essa era uma situação desconhecida no Clube.
    E o trabalho aqui, o grande desafio é o seguinte: conversamos com o nosso pessoal ambiental e precisa entender qual é a profundidade da contaminação.
    Não sou especialista no tema, mas existem parece 03 tipos de situações: uma situação que é mais superficial, é mais fácil o tratamento, é mais rápido, uma situação intermediária, que é um pouco mais longa, ou seja, a contaminação está um pouco mais profunda, e o caso extremo, parece-me, é quando tem a contaminação do lençol freático.
    E aí tem um problema grande a resolver.
    Então, quanto tempo demora?
    Quanto isso custa? Quando vai ser feito?
    Eu consigo atender isso até 2019?
    Tem que ter uma ação agora para a gente ter essa previsibilidade.
    Qual é o impacto disso?
    Se estourar o prazo de 2019 para corrigir isso, será que eu tenho alguma outra ação que eu posso fazer do ponto de vista jurídico?
    Então, todo esse planejamento é necessário ser feito, porque, senão a interrupção do Beira-Rio, não só de ser um problema para o Clube, para os torcedores, ela gera multa para o Inter, o Inter não pode ter o Beira-Rio interditado, ele tem um contrato onde o Beira-Rio tem que estar funcionando, então, gera multa para o Inter, dá impacto na imagem credibilidade.
    Então, é um ponto bastante grave.”

      1. A prova disso, morcego, é como o Klaus disse, nos deitamos nos gremistas, fizemos chacota de que aquilo lá ia explodir devido ao gás do lixão debaixo da Arena ei problema na verdade está no nosso Beira Rio. Que merda!!!

    1. Mudar o foco dos nossos problemas pros lados da Arena é com nós mesmo. Nós colorados somos experts nisso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *