Mês: julho 2016

Grêmio empata com o lanterninha

Grêmio empata com o lanterninha

Por isso, somos chatos quando falamos no blog a respeito de futebol no Rio Grande do Sul. Particularmente, o blogueiro se preocupa somente com a Dupla.

Quando vejo Grêmio e Internacional, dificilmente, nos enganamos. São 33 anos de experiência. Ontem, o time serviu contra o Sampa, agora, não resolveu com o Lanterna.

Na verdade, o futebol gaúcho, se quiser levar para casa um caneco expressivo, terá que dedicar com toda a sua força à conquista da Copa do Brasil.

Até por causa da estatística. Desde os tempo dos pontos corridos, somente ganha mineiro, paulista e carioca. O futebol nacional está limitado aos três estados.

O Grêmio está melhor do que o Internacional, mas é pouco para buscar um título brasileiro, apesar do Roger e a sua padronização de jogo. Complicado.

Empatar em zero a zero com o lanterninha da competição é algo um fracasso da equipe. E se não fosse o Marcelo Grohe, não sei não.

Segue a sina de perder ou empatar para os “pequenos”. E consequentemente os títulos se perdem entre os anos. Imagina: o Grêmio nunca ganhou do América, em Minas, pode?

 

 

Time, técnico e direção parecem perdidos

Time, técnico e direção parecem perdidos

Nós não gostamos do Internacional durante toda a partida contra o Corinthians. Nem quando o time inventou um esquema com três zagueiros e dois alas para abrir os lados.

Falcão está parecendo desesperado atrás de uma solução que ele ainda não sabe qual é a melhor. E com o agravante de contar com uma direção de futebol despreparada.

A equipe paulista escapou de enfiar uma goleada. Os jogadores estão tentando resolver sozinhos e a situação fica ainda mais grave. Placar final Inter 0 x 1 Corinthians.

Não lembro de tanto tempo sem perder na história do campeonato brasileiro. Para o bem do clube, espero que as mudanças aconteçam como prometeu o presidente Piffero.

A terrível série de 9 jogos (3E, 6D) que aconteceu também em 1999, segundo Daison Sant’Anna: 08/09 Internacional 1 x 0 Portuguesa – vitória em casa 12/09 Internacional 0 x 1 Grêmio F 19/09 Internacional 0 x 1 Gama C 26/09 Internacional 0 x 2 Vasco da Gama F 29/09 Internacional 0 x 0 Sport Recife F 02/10 Internacional 1 x 2 Santos C 10/10 Internacional 2 x 2 São Paulo* F *(Inter 1×0 São Paulo na Justiça por escalação irregular de Sandro Hiroshi) 14/10 Internacional 1 x 1 Vitória C 17/10 Internacional 2 x 4 Corinthians F 23/10 Internacional 1 x 2 Botafogo (SP) F 31/10 Internacional 1 x 0 Ponte Preta C – vitória em casa. Só que agora são 2E e 7D.

 

O Tabu gremista do lanterninha do Brasileirão, em Minas

O Tabu gremista do lanterninha do Brasileirão, em Minas

Grêmio x América/MG,  em jogos oficiais e válidos por campeonatos nacionais, o Tricolor jamais ganhou, em Minas:

1) 19.04.1970 – Mineirão – Amistoso – Grêmio 2×1 – 64 364 pagantes – Preliminar de Seleção Brasileira 3 x 1 Seleção Mineira – 1ª vitória do Grêmio no Mineirão.

2) 18.08.1971 – Mineirão – Brasileirão – 0x0.
3) 22.10.1972 – Olímpico – Brasileirão – Grêmio 1×0.
4) 17.03.1977 – Olímpico – Amistoso – Grêmio 4×1 – Estreia de Éder.

5) 20.02.1992 – Olímpico – Série B – América/MG 1×0 – Última vez que o técnico Valdir Espinosa dirigiu o Grêmio.
6) 18.03.1992 – Independência – Série B – América/MG 1×0.
7) 27.09.1998 – Olímpico – Brasileirão – Grêmio 2×1 – Volante Dinho atuou pelo América.

8) 14.09.2000 – Olímpico – Brasileirão – Grêmio 2×1.
9) 31.01.2001 – Independência – Copa Sul-Minas – América/MG 4×3 – Última partida de Ronaldinho pelo Grêmio.

10) 08.02.2001 – Olímpico – Copa Sul-Minas – Grêmio 1×0.
11) 26.08.2001 – Olímpico – Brasileirão – Grêmio 3×1.
12) 24.02.2002 – Independência – Copa Sul-Minas – 1×1.
13) 27.07.2011 – Olímpico – Brasileirão – 1×1.
14) 22.10.2011 – Arena do Jacaré (Sete Lagoas – MG) – Brasileirão – 2×2 – Atenção! América também era o lanterna. Daison Sant’Anna.

Falcão tenta a primeira vitória como técnico colorado diante do Timão

Falcão tenta a primeira vitória como técnico colorado diante do Timão

O grande jogo do domingo, sem dúvida alguma, será no Beira-Rio entre Internacional e Corinthians. Duas grandes tradições estarão em campo às 4 da tarde.

Qualquer resultado, que seja diferente de uma vitória colorada, complicará a vida do clube como um todo. A chapa está esquentando e os opositores estão crescendo na parada.

Vitorio Piffero segue planejando as mudanças estruturais no futebol, apesar de alguns dirigentes de situação estejam discordando com a demora das decisões presidenciais.

Internacional x Corinthians:

–  Inter como MANDANTE na “Era dos pontos corridos” contra o Corinthians: 4 empates, 3 vitórias do Corinthians e 6 vitórias do Internacional (sendo uma em Novo Hamburgo: 1×0 – 2013).

–  Falcão como treinador do Inter, enfrentou o Corinthians em 1993: Corinthians 2×0 no Pacaembu e 1×1 no Beira-Rio.

–  Confronto Histórico – Decisão do Brasileirão 1976:

12/12/76 – Internacional 2×0 Corinthians
Internacional: Manga; Cláudio, Figueroa, Marinho Peres e Vacaria; Caçapava, Falcão e Batista; Valdomiro, Dario e Lula. Técnico: Rubens Minelli.
Local – Beira-Rio
Gols: Dario 29 do 1ºT e Valdomiro (de falta) 12 do 2ºT.   Internacional Bicampeão!!

DAISON SANT’ANNA

Há 33 anos

Há 33 anos

Comentamos na rádio Gre-Nal, no Café com Futebol, nesta quinta-feira,  a respeito do dia 28 de julho de 1983,  que marcou a primeira conquista de Libertadores do Grêmio.

A data marca os 33 anos da decisão contra o Peñarol, do Uruguai, no Olímpico. Acompanhem a súmula da partida que entrou para a história do futebol gaúcho, brasileiro e mundial.

GRÊMIO 2 X 1 PEÑAROL

Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre. Árbitro: Édison Pérez (Peru) Renda: Cr$ 110 551 500,00 Público: 73 093 Grêmio: Mazaropi; Paulo Roberto, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Tita; Renato, Caio (César – 18min23seg do 2ºT) e Tarciso; Técnico: Valdir Espinosa Peñarol: Fernández; Montelongo, Olivera, Gutiérrez e Diogo; Bossio, Saralegui e Salazar; Silva (Peirano – 19 do 2ºT), Fernando Morena e Venâncio Ramos; Técnico: Hugo Bagnulo Gols: Caio 9 do 1º tempo; Fernando Morena 25 e César 32 do 2º tempo; Expulsões: Venâncio Ramos (Peñarol) e Renato (Grêmio) – 42 do 2º tempo.

O Grêmio que segue com dificuldades de grana para contratar, apesar da venda de Giuliano. A ideia é reforçar o time, especialmente, na meia esquerda.

Alione, do Palmeiras, interessa, mas a direção tricolor garante não ter entrado em contato com o clube paulista. Marlone, do Corínthians, está descartado na Arena.

O Grêmio que está preocupado com as convocações. Walace, Luan, Bolaños, além da possibilidade de perder alguém na janela de transferências.

Opinem.

 

 

Piffero está planejamento mudanças imediatas

Piffero está planejamento mudanças imediatas

Vitorio Piffero trabalha em silêncio. Mas o Internacional está planejando algumas mudanças. O diretor executivo deve ser anunciado em breve.

O presidente quer mais contratações. O clube está preocupado com a crise técnica e conta com novos nomes para ajudar a comissão técnica e a própria diretoria de futebol.

Alguém que conheça a aldeia e que poderá ser decidido imediatamente pelo comandante colorado. Um meia esquerda, um lateral esquerdo e um zagueiro deve ser contratado.

 

 

“Recordar é viver” estreia na rádio Gre-Nal no Café com Futebol

“Recordar é viver” estreia na rádio Gre-Nal no Café com Futebol

Nesta 4ªf, vamos tentar recuperar um quadro que fez história na televisão do Rio Grande do Sul, na época, comandado pelo Edegar Schmidt, do inesquecível Cadeira Cativa.

A ideia é de fazer uma entrevista por semana na rádio Gre-Nal com jogadores ou personagens do nosso futebol gaúcho ou do futebol brasileiro.

Vamos reviver as emoções do “Recordar é Viver”. Será durante o Café com Futebol, a partir das 7 da manhã. A primeira participação será com o ex-jogador Borracha.

O Daison Sant’Anna trouxe a súmula de um GRENAL inesquecível:

GRÊMIO 1 X 1 INTERNACIONAL Competição: Campeonato Gaúcho/Segundo Turno – Fase Classificatória Data: domingo, 22/julho/1979 Horário: 15h30min Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre Árbitro: Roque José Gallas Renda: Cr$ 2 102 590,00 Público: 47 927 pagantes Grêmio: 1.Manga; 4.Vílson, 2.Ancheta, 3.Vantuir e 6.Dirceu; 5.Vítor Hugo, 10.Nardela (14.Baltazar – 20 do 2ºT) e 8.Paulo Cézar; 7.Tarciso (Jurandir – intervalo), 9.André e 11.Éder; Técnico: Orlando Fantoni Internacional: 1.Benítez; 2.João Carlos, 6.Mauro Pastor, 3.Beliato e 4.Cláudio Mineiro; 10.Batista, 5.Tonho e 7.Borracha (16.Sílvio – 40 do 2ºT); 8.Jair, 9.Rogério (14.Toninho – 2ºT) e Chico Espina; Técnico: Otacílio Gonçalves (interino) Gols: Borracha 26 do 1º tempo; Éder (pênalti) 29 do 2º tempo Expulsão: Batista ( Internacional) – 25 do 2º (súmula/FGF).

Recordar também é viver!

“Para os padrões atuais, ele é um jogador lento”

“Para os padrões atuais, ele é um jogador lento”

Achei legal o texto do leitor Marco Antônio a respeito do jogador Douglas. Ele conseguiu traduzir muito da verdade do futebol do meia esquerda do Grêmio.

Quem me conhece sabe como penso num futebol competitivo, que não mais admite jogadores como são Douglas, D’Alessandro, Danilo,  Henrique Ganso, entre outros.

Apesar do chamado esporte Bretão se tornar  muito mais bonito com a presença em campo do dez, clássico,  e de grandes jogadas inesquecíveis em campo.

Fala Vidarte, tudo na boa…
O Douglas tecnicamente é excelente jogador, acima da média no futebol brasileiro atual. O problema é que para os padrões atuais ele é um jogador lento, de pouca mobilidade e que não tem fôlego para jogar em alto nível durante os 90 minutos.
Por isso,  também temos que destacar o mérito do Roger em saber tirar o máximo dele, sem prejudicar a mecânica do time. O Douglas quando o Grêmio está sem a bola é sempre o jogador mais adiantado do time, ele vai dar o primeiro combate na saída de bola do adversário. Se o time adversário passa a linha do meio campo ele recompõe ficando numa região central, perto do círculo do meio campo, seja no campo defensivo ou ofensivo, onde ele se desgasta menos. Com isso, toda bola defensiva roubada pelo Grêmio, invariavelmente, passa pelos pés dele, que liga os contra-ataques ou da inicio a movimentação ofensiva do time, dá o tempo certo para a jogada.
Ocorre que em jogos fora da Arena, onde o Grêmio fica menos com a bola, obviamente, ele vai participar menos também. Nesses jogos é que eu cobro uma maior participação dele, voltar um pouco mais e quando estiver com a bola por vezes ditar mais o ritmo.
Mas, inegavelmente, o Grisalho com a bola no pé sabe muito e no meio de tantos medíocres que temos jogando nos grandes clubes ele ainda se destaca.

Abraço, Marco Antônio.

Comentarista do blog

Douglas passa pela vitória e é reconhecido pela torcida

Douglas passa pela vitória e é reconhecido pela torcida

POSTADO IMEDIATAMENTE 17h55 APÓS A VITÓRIA GRÊMIO 1 X 0 SÃO PAULO

Como jornalista esportivo,  me sinto realizado toda a vez que consigo provar na prática uma situação em que a maioria estava equivocada e, depois, muda de ideia.

É o caso do meia canhoto Douglas. Me lembro de inúmeras discussões no Sbt Esporte, Café com Futebol e no blog “VidarteRepórter” a respeito que quase me fizeram desistir.

Me lembro também de debates a respeito sobre a quem a turma  considerava uma opção melhor entre D’Alessandro e Douglas, ou vocês esqueceram das nossas opiniões?

Na vitória de 1 x 0 sobre o São Paulo, a primeira do tricolor gaúcho na história da Arena contra o tricolor paulista, os três pontos passaram fundamentalmente sobre Douglas.

Também jogaram bem para mais de quarenta mil presentes estiveram Negueba, o substituto de Giuliano, Bolaños e Maicon, talvez, rivalizando com o meia nº 10 gremista.

Opinem.

 

Falcão exige imposição e os números de Ponte Preta e Inter

Falcão exige imposição e os números de Ponte Preta e Inter

O grande Paulo Roberto Falcão,  em tese, está certo. O ideal para um treinador de futebol é poder jogar da mesma maneira que atua em casa igual como joga fora de casa.

No entanto, na opinião dos mais experientes treinadores,  com os quais a gente falou aqui no blog, na prática é quase impossível. Fora, a perda da qualidade é quase inevitável.

“O futebol exige imposição e tenho a ideia de manter o mesmo time e organização. Mas, às vezes, o adversário pressiona e o grupo vem um pouco mais para trás”, reconheceu.

Os números de Internacional x Ponte Preta (Robertão 1970 e Brasileirão):

16 vitórias do Inter, 9 empates e 3 vitórias da Ponte.// Em Campinas: 5 vitórias do Inter, 5 empates e duas vitórias da Ponte.//

Falcão (jogando pelo Inter) x Ponte Preta:

1976 – Beira-Rio – Inter 2×0 – Caçapava e Jair
1978 – Campinas – Inter 2×1 – Bil (2)
1980 – Beira-Rio – Inter 1×0 – Bira

​Obs.: 06/12/2015 – Campinas – Ponte Preta 0x1 Sport (téc. Falcão) – Diego Souza.

Daison Sant’anna

EDITADO IMEDIATAMENTE APÓS O JOGO PONTE PRETA 2 X 2 INTERNACIONAL

Em Campinas, foi o sexto empate da Ponte Preta na história do confronto. O Colorado tem a supremacia dos encontros, mas, neste domingo, o empate foi um achado.

O Internacional escapou de uma goleada. Falcão segue, em dois jogos,  jogando menos do que Argel. O time melhorou com as alterações e Ariel marcou 2×2.

Houve um gol mal anulado, a bola tinha entrado na goleira do Inter, houve dois pênaltis para os locais, além de vários lances irregulares do árbitro Leonardo Cavaleiro.

E ainda aconteceu a expulsão correta de Fernando Bob,  por jogada violenta cometida sobre Wendel, disparadamente o melhor em campo no Moisés Lucarelli.

O novo técnico, talvez, não tenha a característica recomendada para enfrentar um momento de crise, mas é apenas a minha opinião. Nos resta aguardar um pouco mais.

Nos próximos três jogos a gente vai ter uma ideia mais apropriada do rendimento. Domingo – Inter x Corínthians, quarta –  Cruzeiro x Inter, domingo – Inter x Fluminense.