Grêmio empata com gol irregular de Bolaños

O primeiro gol do jogo Grêmio e São José, na Arena, neste domingo, pela quarta rodada, surgiu após uma boa jogada do equatoriano Miller Bolaños, no segundo tempo. Lincoln, que havia entrado um pouco antes do lance, fez o passe para o um a zero.

Bolaños, recebeu da esquerda para o meio, avançou, superou a marcação e fez a tabela com Lincoln. O problema é que o atacante gremista dominou com o braço esquerdo, antes de fuzilar o goleiro Fábio. Gol irregular. O São José reclamou muito do erro do árbitro.

Zequinha, que chegou ao empate através de Rafinha, segue na zona de rebaixamento do campeonato gaúcho. O time do Passo D’Areia, demonstrou mais preparo físico e poderia até mesmo ter saído com a vitória, na Arena.

Após o final, o capitão Maicon chegou a discutir com um torcedor por causa de uma falta que o jogador gremista deixou de marcar no lado ofensivo do Tricolor. Maicon tinha o amarelo e decidiu deixar o adversário seguir o lance para evitar o segundo cartão amarelo.

Opinem.

Brenner marca dois, mas Inter somente empata com o Passo Fundo

POSTADO IMEDIATAMENTE APÓS PASSO FUNDO 2 X 2 INTERNACIONAL

Brenner fez uma atuação de oportunismo e de um verdadeiro centroavante no empate de Passo Fundo, neste domingo, no estádio Vermelhão da Serra. O atacante marcou os dois gols colorados, todos na etapa complementar. Passo Fundo 2 x 2 Internacional.

O Passo Fundo foi melhor na primeira etapa e saiu ganhando. Mas a saída de Anselmo da equipe alvirrubra, no intervalo, modificou o jeito de jogar dos visitantes. Houve três pênaltis, no entanto, somente um deles foi assinalado pelo árbitro e convertido por Brenner.

A situação colorada ficou complicada na tabela do campeonato gaúcho, após a 4ª rodada. Ninguém do Inter imaginava sofrer um gol nos últimos instantes da partida. O gol tricolor foi de Saimon, numa das poucas falhas do goleiro Danilo, que saiu equivocadamente do gol.

Opinem.

Inter é “absolvido”, apesar de continuar a comprar ingressos de organizadas

O mundo sabe da participação dos clubes de futebol lado a lado com as torcidas organizadas. Neste episódio de Veranópolis, o próprio TJD, admitiu que o Internacional COMPROU ingressos.

Foram 330 ingressos doados para as torcidas “organizadas”. Portanto, o clube precisava ser punido e severamente pelos tribunais.

Mas, diferentemente do que indica o bom senso entre os homens e a sociedade, o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul privilegiou a violência em detrimento da ordem.

A pena foi branda, apesar do recurso pedido pelo procurador do Tribunal. Nenhum novidade, ou alguém concorda com os fatos vistos no estádio Antônio David Farina?

Decididamente, o futebol brasileiro é uma “máfia”, onde os tribunais, para falar apenas em esporte, agem politicamente, ao invés de uma tomada de decisão técnica e justa.

Opinem.

Grêmio está no caminho e Inter abusou dos erros

Cobrados por suas torcidas para terem uma temporada vitoriosa, as finanças dos principais clubes brasileiros pedem passagem segundo análise prévia do Itaú BBA, o banco de atacado, investimentos e a tesouraria do grupo. Vamos destacar a Dupla Grenal aqui no blog.

GRÊMIO ESTÁ NO CAMINHO

Atual campeão da Copa do Brasil e de volta após duas edições, a perspectiva em relação ao trabalho no Grêmio é um pouco melhor do que apontou o relatório do ano passado.

A análise anterior apresentou um diagnóstico preocupante, em que alertava-se a necessidade de o Grêmio reduzir investimentos e custos, para, no longo prazo, conseguir ser forte, relevante, e não mero coadjuvante.

“Neste ano, o Grêmio pode ser um caso interessante. Tem uma gestão profissionalizada, um CEO, foi campeão da última Copa do Brasil e fez uma série de controle de custos. Vendeu atletas, reduziu a folha salarial. Está fazendo um trabalho interno super bem feito. Ou seja, está em um caminho bem interessante”, disse Grafietti.

INTER ABUSOU DOS ERROS

O clube vinha enfrentando altos e baixos na gestão, como apontou o relatório do ano anterior, e acabou rebaixado para a segunda divisão do Brasileiro no fim de 2016.

“Os números de novembro já apontavam para um prejuízo de R$ 60 milhões. O Inter errou muito. Abusou do direito de errar. É um clube que vendia muitos atletas para fechar a conta. Sempre vendeu e vendeu bem. Até porque forma bem. Mas não teve vendas relevantes no ano passado. Isso apertou demais o fluxo de caixa”, disse Grafietti.

Segundo Grafietti, o Inter estava muito dependente da venda de jogadores. “Quando você entra nessa roda, ela não pode parar. No ano que ela para o clube se arrebenta. Você tem uma receita que entende ser recorrente, mas ela não é. Quando ela parar você vai atrasar salário, vai atrasar premiação. Vai atrasar tudo. Vai fazer dívidas novas ou vai atrasar.”

César Grafietti, superintendente de crédito do Itaú BBA e responsável pelo estudo financeiro dos clubes brasileiros.

A matéria está na íntegra dentro do site da espn.uol.com.br